Pedro

 

Me chamo Pedro, tenho 32 anos e com muita alegria no coração que compartilho com vocês a ressureição que Cristo, através da Comunidade, está fazendo em minha vida. 
Sou de uma pequena cidade do interior do estado de SP, Brasil. 
Desde criança fui sempre um menino alegre e me sentia amado pela minha família. Somos em dois irmãos sendo eu o menor. Meus pais sempre foram unidos e fizeram o possível para termos a melhor educação e viver em um ambiente equilibrado, sem brigas e discórdias. Me recordo que tanto minha mãe como meu pai se esforçavam para estar presente em tudo que eu fazia, na escola e nas atividades do dia a dia. 
Quando tinha 12 anos meu pai sofreu infarto durante as férias, a notícia da morte dele não abalou somente a mim, mas também toda minha família. A partir desse momento tudo mudou. Minha mãe se fechou em seu mundo e já não era mais aquela mãe presente que me fazia sentir tanto amado, e preenchia esse espaço vazio com bens materiais.Pedro 2 Meu irmão também foi para seu lado, se escondendo nas drogas. 
Nada mais para mim fazia sentido, não entendia o porquê da divisão familiar, não entendia o sofrimento que sentia e o porquê de tantas perguntas sem respostas. 
Desde então minha mãe se fechou no trabalho e quase não via ela durante todo o dia, meu irmão com sua rebeldia não dava espaço para que eu participasse de sua vida, foi aí que busquei a minha maneira de sair também dessa tristeza conhecendo pessoas que tinham o mesmo problema que eu.
Conheci o álcool e a droga na escola e me sentia feliz pela sensação de “prazer e esquecimento” dos problemas que vivia, ali era meu refúgio. Me fechei em um mundo onde ninguém sabia de verdade o que sentia. Mascarava meus medos, feridas e tristezas apresentando um Pedro falso, que não era feliz, mas que não tinha força para sair do mundo que estava mergulhado. Nesses tempos de trevas conheci muita maldade, muita revolta e raiva de mim mesmo. Não me conhecia mais e somente pensava em me drogar para não enfrentar a realidade que me encontrava. Permaneci nessa vida durante 10 anos e esqueci dos valores que meus pais haviam me ensinado, não existia mais sonhos e não me importava mais se estava vivo ou morto. 
Já não aguentava mais viver daquela maneira com tanta tristeza no coração, sentia que estava perdendo minha essência e que o verdadeiro Pedro já não existia. Foi quando chorando e com a droga na mão pedi ajuda para minha mãe. Conheci alguns tratamentos que não deram certo. Foi então quando uma tia minha falou da Comunidade Cenacolo. E foi a primeira vez que vivi a misericórdia de Deus em minha vida, porque quando mais precisei ele me mostrou uma luz.
Para mim no começo foi tudo muito estranho, na triagem não levava a sério e não acreditava que iria mudar de vida ali.
Passando os dias percebi que os rapazes da casa de Jaú eram diferentes dos lugares que eu havia passado. Havia um sorriso verdadeiro neles, os olhos transmitiam vida, havia uma esperança naquele lugar. Entrei para ficar seis meses e depois ir embora. Nesses seis meses encontrei pessoas que se preocupavam comigo desinteressadamente , que rezavam em alta voz e ficavam na capela , que me falavam a verdade e que estavam dispostos a me ajudar somente porque acreditavam na vida que estavam vivendo, isso me fez mudar os pensamentos. Me sentia abraçado por aquele lugar, me sentia mais forte dentro e com vontade de trabalhar, com o coração mais aliviado e com um sorriso no rosto. Encontrei aí a força de querer continuar o caminho e deixar-me confiar pela Comunidade. 
Na segunda visita disse a minha mãe que não iria voltar tão cedo para casa, que tinha encontrado sentido no que fazia. Consegui pedir perdão e dizer tudo aquilo que tinha em meu coração. Sentia que Deus estava comigo me ajudando nesse momento. 
Depois dessa visita abri meu coração a Comunidade e dei o passo de querer fazer o caminho. 
Era orgulhoso e egoísta e por conta disso vivi muitas dificuldades e crescimentos que me ajudaram a entendem onde precisava mudar. 
Em Jaú vivi dois anos, aprendi com o responsável e com os rapazes que a vida no sacrifício e nas pequenas renúncias valia a pena, que Jesus estava comigo lutando a cada dia e que minha vida era importante. Entendi que os ensinamentos e a vida simples que Cenacolo propunha era algo valioso que levaria para toda a minha vida. Aprendi a rezar com o coração e confiar que Jesus Eucaristia me curava devagarzinho. 
Nesses últimos sete anos conheci muitos lugares, fui transferido para Argentina onde fiquei mais dois anos, lá dei muitos passos comunitários, conheci mais os meus limites e a mim mesmo e percebi que a Comunidade era um dom de Deus. Tive a possibilidade de passar três meses na Itália, de participar da Festa da vida, de conhecer muitas casas e pessoas de bom coração que ajudam essa obra de Deus ir na frente. Conheci Madre Elvira e nesse momento com ela agradeci pela sua vida, pela sua coragem e por nos amar. Encontrar a Madre foi um dom de Deus, abraçá-la e olhar nos seus olhos me ajudou a entender que sou privilegiado de viver em Cenacolo. 
Depois disso passei pela casa Santa Teresinha também no Brasil, lá conheci pessoas maravilhosas com o coração bondoso, me aproximei muito da oração e de Deus, sabia que ele estava comigo, sentia sua presença, me sentia amado e perdoado. Aí nasceu em mim a vontade de ajudar e me doar ainda mais para os rapazes que precisavam. Durante minhas adorações sentia muito a vontade de querer ficar ainda mais na Comunidade, sabia que aquela vida me preenchia, estar com os rapazes transmitindo o que havia aprendido, lutar por aquilo que acreditava, encontrar um tempo para rezar , ver o sorriso e o esforço de um jovem que entrava e lutava pela sua vida enchia meu coração de alegria. 
Conheci mais a mim mesmo, conheci um Deus que é presente na minha vida, que me ama assim como sou e que está sempre ao meu lado. Entendi que as caídas sempre existirão e que Jesus me dá a mão para levantar. Quantos momentos lindos, quantos crescimentos, quantos abraços verdadeiros, quantos momentos que sentia próprio Jesus ao meu lado. Sentia minha vida sendo mudada...
Hoje me sinto um rapaz feliz, livre, capaz de viver o sofrimento e o amor de forma madura, colocando minha vida nas mãos de Deus. Quero apenas viver segundo a vontade Dele. Agradeço a Ele a cada dia , que me mostrou a Comunidade e que nela pude enxergar sua luz e a ter fé, agradeço a Comunidade que me ensinou a acreditar e confiar que existe um Deus presente, por ter mudado minha história e me transformar num homem de bem.